Barra de boas vindas e data

sábado, 21 de novembro de 2009

Nova modalidade de Boliche

Micro-Ônibus faz Strike na Arterial 18.

Essa peguei do Diário do Pará On Line. Seria hilário se não fosse tão sério. Esses motoristas de vans acéfalos sempre aprontando. Quando é que as autoridades vão tomar providências sérias contra essa invasão das nossas ruas. Vejam que tem carros de todo o Brasil. Parece que fizeram um feirão em outro estado e venderam as sucatas todas para cá. Onde tem oportunidades para atuar. Onde nunca teve um sistema de transporte urbano decente. Onde nunce houve respeito com o cidadão de bem. Onde nunca as autoridades locais iriam se mexer para acabar com essa farra.


Voltando à nossa metáfora do micro-ônibus, veja o strike que ele fez no Celtinha na Arterial 18 da Cidade Nova. Lá existe uma outra espécie de fauna de guardolinhas. Eu diria farejadores.


Clique na imagem para ampliá-la ou clique aqui para ir ao site do Diário On Line.

_____________________________
Reportagem do Jornal Diário do Pará.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Multa de trânsito pode perder valor

Decisão do STJ sobre empresa mista de trânsito em Minas abre jurisprudência para cancelar infrações em Ribeirão

Por Adriana Matiuzo

Foto:F.L. Piton - 07.mai.2009/ A Cidade

RESPONSABILIDADE Marronzinho instala radar móvel na avenida Maurílio Biagi: trabalho pode ser em vão


Uma decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) com relação à BHTrans, a empresa de trânsito de Belo Horizonte (MG), trouxe jurisprudência para que qualquer cidadão comum possa questionar na Justiça a validade das multas aplicadas pela Transerp (Empresa de Trânsito e Transporte Urbano) em Ribeirão Preto. A decisão, divulgada no site do tribunal na semana passada, considera "temerário" deixar o gerenciamento do trânsito sob responsabilidade de uma sociedade de economia mista, caso da BHTrans e da Transerp.

A decisão deve acelerar a discussão sobre a mudança de status da empresa ribeirão-pretana para Secretaria de Trânsito, que está em análise na prefeitura.
O STJ atendeu a um recurso do Ministério Público de Minas Gerais. A decisão revogou um acórdão do Tribunal de Justiça mineiro, que considerava válidas as multas. Segundo o site do STJ, o ministro Herman Benjamin disse que as sociedades de economia mistra têm fins empresariais e servem para desempenhar atividade econômica ou de empreendimento.

Leia a reportagem completa na edição impressa do A Cidade.
______________________________
Matéria enviada por email pela nossa colaboradora Marilena Vasconcelos retirada do Jornal A Cidade (de Ribeição Preto/SP), onde ela brada: Vitória!!!Agora é ampliar os efeitos dessa decisão no STJ.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Adulto Esperança

Gente, um leitor do nosso blog me mandou um email interessante comentando alguns argumentos meus sobre a Ação Metrópole, que, a partir de hoje, vou chamar de Adulto Esperança.
Achei que deveria compartilhar com vocês o email e minha resposta.
Fiquem à vontade para debater o assunto pelo comentário do blog.
_______________________________________
Você pergunta no seu blog se alguém acredita na realização do projeto Ação Metrópole. A minha opinião é que nós, sendo ou não eleitor na governadora, temos que dar um crédito de confiança, porque só assim as coisa saem do papel.
Não sou eleitor do PT, aliás não gosto do PT e muitas coisas mais. Mas espero que esse projeto se realize, porque a nossa cidade está muito aquém das outras cidades do Brasil, inclusive da região norte.
 
Não acreditando, mas querendo ver concluído esse projeto, pelo menos em parte.
 
sd
 
Fulano de Tal
(nome fictício, percebeu?)

________________
Então respondi:
________________
 
Caro Fulano de Tal, obrigado pelo contato.

Respeito seu opinião, mas olhe à nossa volta: estamos repletos de obras pela metade. Posso citar alguns casos para refrescar a cuca: Viaduto Mariguela DEVERIA ter um túnel por baixo da Alm. Barroso. O entroncamento DEVERIA ter uns dois elevados para acabar com o inferno que está. A 1º de Dezembro DEVERIA ir até Marituba. A av. Perimetral DEVERIA ser duplicada até a Alm. Barroso... e por vai. É por isso que digo no blog que só acredito vendo, porque de promessa estou cansado! E discordo de você (tenho direito, certo?) que quando diz "porque só assim as coisas saem do papel". Pelo contrário: é assim mesmo, acreditando neles,  é que as coisas não saem do papel. É isso que eles querem. Nada mais. Olha, Toninho, o estado está quebrado. A desGovernadora está pedindo dinheiro para todo lado, pois é péssima administradora. Você sabe que ela quer vender o Banpará para o Banco do Brasil, mesmo depois de ter se tornado um banco forte? Pois é. Ela é funcionária do BB. Minha esposa é funcionária concursada da SEDUC e sofremos por isso. Não sei se tem idéia disso. Os salários do policiais civis e militares estão lá embaixo e, consequentemente, vemos todos os dias nos jornais notícias que a violência está aumentando. Todos os dias.
Portanto, meu caro amigo, não quero que pense que estou contra essas obras, realmente grandiosas e necessárias para nossa combalida cidade. Muito pelo contrário. Torço junto com você para que se concretizem, mas, sinceramente, isso tudo PARA MIM é puro marketing eleitoreiro, pois ano que vem (falta menos de dois meses para 2009 acabar) tem eleição pesada (presidente e Cia). E como já disse, esse filme eu já vi. Ela definitivamente não tem dinheiro para concluir TODA a obra do Projeto Metrópole. E quando digo todo, não me refiro somente ao elevado da Júlio César, porque sei que ao menos isso ela terminará. Me refiro a todo o projeto, que engloba o prolongamento da av. Independência, a posta do meio da BR-316 para somente ônibus. Augusto Montengro, enfim, veja o projeto todo neste link: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=739040

Em referência a seu último comentário: "Não acreditando, mais querendo ver concluido esse projeto, pelo em parte." Pode ter certeza que pelo em parte nós já estamos vendo.

Um grande abraço.
 
Cid Pacheco
cid.pacheco@gmail.com
___________________________________
 
Por favor, se alguém tiver algum comentário sobre isso tudo, favor usar o cometário do blog para poder publicar mais rápido, e tornar essa uma discussão saudável e pública.

domingo, 15 de novembro de 2009

Alma lavada

Fui a uma loja hoje de manhã e estive lá por uns 5 minutos.
 
Quando eu saí,  vi um guardinha da CTBel (cada estado tem o nome dos guardas que merecem), com sua motocicleta, todo prepotente (eles se sentem 'autoridade') preenchendo uma multa.
 
Corri até ele e soltei o famoso:
 - Peraí, amigão, não faz isso não, dá uma chance! 
Ele me ignorou e continuou escrevendo a multa. Então eu o chamei de babaca metido a polícia!
Ele me olhou e, sem dizer nada, deu uma olhada em um dos pneus do carro e começou a fazer outra multa. 
Então eu falei:   - Que merdinha de profissão a sua, hein? Ele começou a escrever uma terceira multa!

Foram mais uns 5 minutos ali fora, discutindo ou tentando discutir.

E quanto mais eu xingava, mais  multas ele preenchia.
Depois que eu vi que aquilo não iria resolver, saí dali e fui pegar o meu carro no estacionamento, na outra quadra.
 
O importante mesmo é ter tentado ajudar!
Faça isso sempre que possível! 
Você sentirá a alma lavada!


Assinado: O VERDADEIRO F.D.P.
 
------------------------------------------------------
 
Rapaz, juro que quando comecei a ler, fiquei imaginando a Braz de Aguiar e aquela arapuca armada para arrancar dinheiro dos motoristas que precisam estacionar na área.
______________________________________
Este foi um email envido pelo meu tio Raimundo Cid.
Obrigado, sargento!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Eu ADORO uma calçada!!!


Depois de algumas postagens preguiçosas, mas importantes de serem divulgadas, retorno com  algumas fotos de fragrantes do cotidiano de nosso mal-educado e estressante trânsito. Como já havia dito anteriormente, aí vão seis cliques de ótimos exemplos da grosseria de nossos sedados motoristas. Vamos dar uma trégua aos Guardolinhas e mirar nos Flanelinhas.

A foto 01 foi tirada na rua Ferreira Cantão, ao lado da igreja da Trindade. Pude economizar na memória do celular, porque só nessa foto tem CINCO carros estacionados no mesmo lado da calçada. Claro, com a ajuda do nosso amigo de sempre: O Flanelinha Onipresente! Chegou, tá do lado!!! Com seu irritante "pódi dexá pratão!".





A foto 02 mostra o Fiat Strada "à la vonté" na Rua Dr. Moraes, em frente à Oi (antiga Telepará - é, eu sou desse tempo!). O "motora" de bons modos da foto não encontrou outra solução e colocou do jeito que deu. Mas alguém pode dizer: ele não está saindo de uma garagem? Eu também fiquei na dúvida quando tirei a foto e fui conferir de perto: não havia ninguém ao volante. Estava estacionado mesmo. Para piorar, trancando uma garagem.

 
 
 
Com a foto 03 não tive trabalho: só fiz me virar para trás e "click".
No meu leigo ponto de vista esse estacionamento está irregular. Veja que o Ford Focus está uns 75% na calçadam atrapalhando os transeuntes. O veículo deveria estar mais de 50% para dentro do terreno. Cara de pau do dono do estabelecimento. Note também vários carros fechando o pseudo-estacionamento.

 
Foto 04: a rua Ferreira Cantão é terreno fértil para a imaginação do prestativos flanelinhas, "forçando" os educados motoristas a estacionar irregularmente. Se você passar por lá agora, certamente vai ver uma cena dessas. Hã, é meia-noite? Passa por lá...

O Fiat Siena da foto 05 foi flagrado na calçada da Av. Magalhães Barata, já em São Braz, ao lado daquela concessionária da Yamaha. Perceba que ele não é dos Bombeiros, embora o carro seja vermelho-cor-da-paixão! Acho que motorista ia entrar naquele portão e errou o caminho por ser estrábico divergente.
 
De novo a Ferreira Cantão na foto 06. Aquele 
Ford EcoSport estava fresquinho no lugar. O cocheiro não havia nem descido dele ainda. 

Depois de tanto fotografar rodas em cima de calçadas na Ferreira Cantão, fiquei curioso e fui investigar se em outras ruas nas proximidades acontecia isso e vi que é somente lá mesmo. As demais ruas ao redor das duas praças ficam socadas de carros, mas nenhum em calçada.

Conclusão: Flanelinha que é flanelinha faz o besta do motorista estacionar em qualquer lugar para pegar multa da CTBel. O que importa é receba seu troco
 



segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A Ação Metrópole

Você já deve ter ouvido falar e muito da Ação Metrópole. Pois é. Se for feito ao menos 50% dessa ladaínha toda, dou-me por satisfeito 50% com os votos que a maioria deu (menos eu) na atual governadora.


Agora clique aqui e veja você mesmo o projeto no próprio site do Governo do Pará. Depois me diga se acredita ou não.
Eu só vou acreditar quando vir tudo com os próprios olhos. É muita coisa para pouco tempo. Particularmente creio que seja jogada do PT de olho na candidatura da Dilma Rousseff em 2010. Faz-se um pouco para mostrar trabalho e depois da eleição ganha, pára-se tudo. Esse filme eu já vi várias vezes. O pior é que o povo sempre esquece do roteiro e dos atores, todos premiados com o Oscar político: dinheiro, muito dinheiro público.

Tire suas próprias conclusões...

domingo, 8 de novembro de 2009

A Máfia do Guincho - CTBel Nega

CTBel nega máfia e vai apurar imagens de vídeo

Diante da denúncia publicada pelo DIÁRIO na edição de ontem, com imagens que mostrariam uma suposta negociação de propina para liberação de um veículo guinchado, envolvendo funcionários da empresa de guincho e agentes da Companhia de Transportes de Belém (CTBel), a CTBel negou que houvesse máfia nas ações do órgão e que pretende apurar se as imagens realmente mostrariam irregularidades, para poder tomar medidas administrativas.

A informação foi repassada pelo coronel Joaquim Souza, diretor de trânsito da Companhia de Transportes de Belém (CTBel) à reportagem do jornal, na manhã de ontem, durante a ação para a mudança de trânsito na avenida Doca de Souza Franco.

Joaquim disse que os funcionários das empresas contratadas para fazer o serviço de guincho não têm autonomia para reter veículos. “Todo guinchamento tem que passar por procedimentos feitos pelos agentes da CTBel. Essa companhia que é responsável por verificar as irregularidas no estacionamento dos veículos e acionar o guincho, quando a irregularidade acontece”, explicou. “A empresa apenas realiza o trabalho de guinchamento dos veículos”.

MÁFIA
O diretor também negou a existência de uma possível máfia atuando nas ruas. “Não existe máfia, máfia é organização criminosa e isso não existe na CTBel. E não dá para afirmar que houve irregularidade e nem a participação do agente nisso”, declarou. De qualquer forma, ele garantiu que tudo será apurado. “Vamos verificar a placa do veículo com os carros que foram guinchados no dia. Foram quatro veículos recolhidos naquele horário. E vamos apurar a questão e tomar as medidas que forem necessárias”, garantiu.

O DIÁRIO mostrou imagens feitas por um cinegrafista amador usando uma câmera de celular que levantam suspeitas de que homens de uma empresa que presta serviço para a Companhia de Transportes de Belém (CTBel) estariam recebendo propina para liberar automóveis sujeitos a guincho.O fato aconteceu por volta das 15h, na travessa Barão do Triunfo, entre Almirante Barroso e 25 de Setembro, no bairro do Marco, e foi registrado pelas câmeras de segurança de um outro prédio. (Diário do Pará)
--------------------------------------
ESSA FOI ESCOLHIDA A PIADA DO MÊS.
Tudo bem que nossa cansada Constituição dá o direito de reposta a qualquer bandido ou cidadão de bem, mas depois de tudo filmado e confirmado a CTBel ainda nega o óbvio! Eles devem achar o povo é um monte de banana. Aliás, a cidade toda é uma bananada...


Leia o post abaixo para saber mais sobre o que está rolando.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------

A Máfia do Guincho

Seria triste se não fosse cômico. Divirta-se!!!

Vídeo flagra máfia do guincho da CTBel em ação




Imagens feitas por um cinegrafista amador usando uma câmera de celular levantam suspeitas de que homens de uma empresa prestadora de serviços para a Companhia de Transportes de Belém (CTBel) estariam recebendo propina para liberar automóveis sujeitos a guincho.
As imagens, feitas da janela de um edifício na tarde da última quinta-feira (5), revelam com nitidez o momento em que um funcionário da empresa Guincar recebe dinheiro para liberar um carro que seria guinchado. O fato aconteceu por volta das 15h, na travessa Barão do Triunfo, entre Almirante Barroso e 25 de Setembro, no bairro do Marco, e também foi registrado pelas câmeras de segurança de um outro prédio.
O vídeo mostra em nove minutos o momento em que o dono de um carro que seria guinchados em função de estacionamento irregular conta um maço de notas de R$ 50,00 e entrega ao funcionário para liberar um Honda Civic preto, que já estava sobre o caminhão de guincho.
Nos primeiros minutos da gravação, é possível visualizar o motorista conversando com um homem de camisa azul-claro, portando um bloco de anotações. Ele está com uma roupa semelhante a de um guarda de trânsito.
Em seguida, o funcionário da empresa de auto-socorro (de uniforme azul-marinho) se aproxima dos dois e caminha em direção ao caminhão de guincho. Logo, observamos o motorista entregar as chaves do carro para o funcionário da empresa, escondendo atrás das costas um maço de dinheiro, que entrega nas mãos do funcionário após fazer a contagem das cédulas. O carro é liberado logo em seguida.

CTBEL
De acordo com informações do diretor de transporte da CTBel, coronel Joaquim Souza, o guincho é um serviço terceirizado feito por empresas prestadoras de serviço. Ele informou que a Companhia de Transportes dispõe de quatro empresas que desempenham essa função, escolhidas por meio de licitação. Todas atuam na Região Metropolitana de Belém.
À reportagem do DIÁRIO, o diretor de transportes explicou, por telefone, todo o procedimento realizado em caso de “guinchamento” de veículos. Após o recolhimento do carro, o motorista deve comparecer à CTBel portando os documentos do veículo, para comprovar a propriedade do mesmo. Lá, são verificadas as condições do carro – se há multas pendentes ou licenciamento atrasado – e em seguida é fornecido um boleto, com uma taxa que deve ser paga em casas lotéricas ou agências bancárias.
Feito isso, o “motorista infrator” retorna à Companhia com o comprovante de pagamento e o carro é imediatamente liberado. Segundo Joaquim, a taxa de guincho equivale a R$102,00 e este valor pode aumentar de acordo com o tamanho do veículo.
“A CTBel está realizando há três meses uma operação para eliminar os transtornos originados pelos estacionamentos irregulares e melhorar o nível de mobilidade de pessoas e veículos em vias públicas. Além das notificações, os carros estão sujeitos às medidas administrativas, que incluem a remoção por meio de guincho”, conta o diretor.
Segundo o coronel Joaquim, todo o procedimento deve ser acompanhado por um agente de trânsito da CTBel, já que a única responsabilidade da empresa terceirizada “é a de executar a remoção do veículo, enquanto que cabe ao agente de trânsito autuar o motorista e autorizar o guinchamento”. Ainda segundo o diretor, entre 20 e 25 carros são guinchados por dia, na Grande Belém. Na área onde o vídeo foi gravado não há placas de ‘Proibido Estacionar’.




TESTEMUNHAS
O empresário André Mendonça, 46, que fez as gravações com um telefone celular, demonstrou-se bastante indignado com a situação dos supostos agentes da CTBel. Em entrevista ao DIÁRIO, ele disse que o caso virou rotina desde setembro, naquele trecho. “Eles vêm pela parte da manhã e da tarde. Eu presenciei quando um agente da CTBel cobrou de uma motorista o valor de R$ 100,00 para que o carro dela fosse liberado”, declarou o empresário. Já na última quinta-feira ele resolveu registrar o crime com o celular.
Outra testemunha, Dorival Junior, também falou sobre essa situação. Ele diz que os agentes estão lucrando diariamente com os subornos que fazem aos motoristas que deixam os veículos próximos ao meio-fio. Já a moradora de um edifício, Bernadete Santos, disse que tem uma sobrinha que teve o carro rebocado pelos agentes. “Ela estacionou o carro e subiu rapidamente para falar comigo e quando voltou o carro dela já não estava no local”.

Terceirizada confirma que guinchadores trabalham com agentes da CTBel
O DIÁRIO entrou em contato com a administração da Guincar, alegando vínculo com o motorista infrator e, sem se identificar, foi informado de que “os operadores da empresa fazem o recolhimento do carro mediante acompanhamento de um agente da CTBel, sem que haja contato do funcionário da Guincar com o proprietário do veículo guinchado. Não existe emissão de nota para o motorista, ela é entregue diretamente à CTBel”.
Um funcionário informou que a empresa presta serviços para a Companhia de Transportes, atuando em toda a cidade, e atende também empresas particulares. Foi confirmado que os veículos de guincho que aparecem no vídeo, de placas NSG-0407 E NSG-0567, são de propriedade da referida empresa. Também foi confirmado que o uniforme usado pelos funcionários da Guincar é de cor azul-marinho, como aparece nas gravações.
________________________________
Clique aqui e veja a reportagem diretamente no site do Diário do Pará. Não se assuste se não acessar de primeira. O site deve ser ainda beta do beta e sai do ar de vez em quando, por isso que disponibilizei todo o conteúdo diretamente aqui no blog.

O melhor de tudo é que está na seção Polícia do site do Diário do Pará!

Ah, como eu adoro esses furos!!!!

Aplicação de multa de trânsito por empresa privada volta a ser discutida no STJ

Informe STJ

Está prevista para o dia 10 a retomada do julgamento na Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) se a Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) tem poder de multar os infratores do trânsito da capital mineira. O ministro Herman Benjamin, cujo pedido de vista interrompeu a discussão, marcou para essa data a continuação do julgamento do recurso especial apresentado pelo Ministério Público de Minas Gerais.

O pedido de vista ocorreu em seguida ao relator, ministro Mauro Campbell Marques, julgar pela incompetência da empresa aplicar multa, dando provimento ao recurso especial do MP contra conclusão da Justiça mineira no sentido de que a BHTrans pode aplicar multas aos infratores de trânsito. O MP acredita que a decisão viola o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O ministro Mauro Campbell Marques dá razão ao MP. Para o relator, o poder de polícia é o dever estatal de limitar o exercício da propriedade e da liberdade em favor do interesse público, conceitua. E suas atividades se dividem em quatro grupos: legislação, consentimento, fiscalização e sanção. “No que tange aos atos de sanção, o bom desenvolvimento por particulares estaria comprometido pela busca do lucro – aplicação de multas para aumentar a arrecadação”, finaliza.

Após o voto do ministro Herman Benjamin, votam ainda a ministra Eliana Calmon e os ministros Castro Meira e Humberto Martins.

-----------------------------------------------------------
Informe enviado pela nossa colaboradora Marilena Vasconcelos, retirado do site Direito & Justiça - O Estado do Paraná.