Barra de boas vindas e data

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Cada macaco no seu galho

Para quem não acompanha jornal de papel semanalmente e só lê o caderno de classificados e de fofoca do Diário e de O Liberal aos domingos, segue matéria que saiu no Jornal O Liberal do dia 23 de fevereiro de 2010. Pus o título que mais convinha no blog, mas a reportagem está na íntegra aqui abaixo. Mas se preferir, leia direto do site.


Trânsito pára enquanto agente descansa
YÁSKARA CAVALCANTE



Da Redação


Hora da feira: compras são feitas no horário que própria prefeitura considera mais crítico



Entre 6h30 e 8h30, todos os dias, o trânsito de Belém tem seu pior momento. Pelo menos foi o que afirmou, há uma semana, o diretor de Trânsito da Companhia de Transportes do Município de Belém (Ctbel), Joaquim Souza. Ontem, no entanto, a equipe de O LIBERAL flagrou pelo menos oito agentes, que deveriam estar organizando o tráfego, parados por cerca de 50 minutos, exatamente das 8 horas às 8h50, jogando conversa fora na hora de pico nas ruas de Belém, quando a cidade está tomada por congestionamentos.
Os agentes chegaram em viaturas a um posto de gasolina localizado na esquina das avenidas João Paulo II e Ceará e, depois de abastecê-las, 'bateram ponto' em uma fruteira perto dali. Abordado pela reportagem, um dos agentes, identificado como Nunes, disse que estava 'aguardando para despachar os guinchos'. Só não explicou o porquê de estar acompanhado de outros guardas. A primeira viatura a chegar ao posto para abastecer foi uma picape L-200, de placa NSL-9068, exatamente às 8 horas. Em seguida, foi a vez de uma moto, de placa NSJ-0408, receber combustível.
Depois, foram abastecidos um automóvel Pálio, placa NSK-0117, outras duas L-200, de placas NSM-4708 e NSM-4348, e, finalmente, outra moto, de placa NSM-1128. Findo o abastecimento, os condutores das viaturas, todos uniformizados como guardas da Ctbel, deslocaram-se até uma fruteira que fica na avenida Ceará, onde ficaram por quase uma hora, conforme comprovou a reportagem e foi confirmado, inclusive, por funcionários do posto de combustível. 'Eles (os guardas) abastecem aqui (no posto) todos os dias nesse mesmo horário. Depois eles ficam um tempão aí nessa fruteira', revelou um dos frentistas, que preferiu não se identificar.
Os vizinhos da venda de frutas também confirmaram a rotina dos agentes de trânsito. 'Chega ser irônico. Os motoristas vivendo um inferno nesse trânsito logo de manhã e eles aqui, conversando, rindo, sem se importar com nada. Tem dias que ficam uns 20 aí', contou Kelly Souza, que mora próximo ao posto. O agente Nunes, porém, disse que apenas esperava o momento de despachar os guinchos que fazem a fiscalização das irregularidades cometidas por condutores - veículos que, no entanto, também estavam estacionados em frente à fruteira, com os condutores presentes.






Reuniões diárias servem para traçar as estratégias do dia, diz companhia


O diretor de Trânsito da Companhia de Transportes do Município de Belém (Ctbel) e chefe dos agentes , Joaquim Souza, confirma que todos os dias os funcionários se reúnem no posto de gasolina na avenida João Paulo II, no bairro de Canudos. Durante as reuniões, garante, são traçadas as estratégias de atuação dos guardas ao longo do dia. 'Nos reunimos sempre no posto, ou melhor, próximo a ele, já que as viaturas não podem ficar lá. Isso acontece sempre após a hora mais crítica', assevera. 'O pico pode acontecer até às 8 horas ou se estender até às 11, dependendo do dia', continua.
Os servidores que jogavam conversa fora ontem na fruteira próxima ao posto de combustível não são guardas de trânsito, e sim motoristas e inspetores responsáveis pela área. 'Todos eles andam uniformizados, inclusive eu', reitera o diretor, garantindo que os agentes passaram toda a manhã de ontem em seus postos. 'Se você tivesse passado pelo Entroncamento, por Icoaraci ou até mesmo pelo Ver-o-Peso, veria que os guardas estavama lá', assevera.
Questionado sobre a falta de agentes em áreas como a própria João Paulo II, que, no momento da 'reunião', estava congestionada, Joaquim Souza considerou o fato como casual, já que qualquer acontecimento pode alterar o trânsito. 'Até mesmo uma manobra de ônibus que fica na avenida pode atrapalhar o tráfego. Isso acontece diariamente. O que não dá para dizer é que o abastecimento nas viaturas da Ctbel é o motivo para o congestionamento', afirma.
Para quem sai de casa cedo para levar os filhos à escola e enfrenta, todos os dias, congestionamento intenso, como o professor Sandro Lira, a história dos agentes que ficaram parados por 50 minutos em uma fruteira não agradou. 'Cruzo a avenida Governador José Malcher quase toda para levar minha filha à escola todo santo dia. Hoje (ontem), por exemplo, não vi nenhum guarda. E o que você vê são as coisas mais absurdas. É ônibus avançando o sinal vermelho, carro no prego e até mesmo guinchos que param na rua e atrasam ainda mais a vida da gente. Eles (os guardas) ficam parados porque não são punidos', criticou.
A médica Milene Carvalho Oliveira disse que o fato de os agentes estarem parados enquanto o trânsito 'pega fogo' não é novidade para ela. 'Eles têm que estar em algum lugar, disso a gente não tem dúvida. Na verdade, eles podem estar em qualquer lugar, menos nas ruas, fiscalizando, ajudando, tirando dúvidas. Sabem apenas multar sem ao menos ajudar um condutor no caso de dúvida de que rua seguir. Já aconteceu de eu entrar na mão contrária de uma rua e quando vi, do nada, me aparece um guarda apitando. Porque ele não me orientou por onde ir? Simples. Porque eles só sabem multar. Mais nada', resumiu. (Y. C.)


                     >\\\!/<
                     !_"""_!
                     (O) (O)
--------------oOO--(_)--OOo----------------------------------------------------------------------------------------------



NOTA 1:  Quero deixar uma coisa bem clara aqui: solicitei à redação de O Liberal autorização para publicar aqui esta reportagem, mas não obtive resposta. Acho que eles se sentem tão grandes que não dão importância a um "blogzinho" como este. Se pedirem, retirarei a reportagem. Ficam os créditos.

NOTA 2: A matéria foi copiada na íntegra com erros de português e tudo que tem direito, com exceção do título (veja Nota 4). Não me culpem por isso... Amigo é pra acudi outro.

NOTA 3: Os rostos dos  símios em ação foram modificados de propósito. Uma coisa é um jornal metido a grande publicar, outra é um blogzinho de nada. Não quero problemas pessoais com ninguém. Minha bronca é profissional.

NOTA 4: No título original "Trânsito para enquanto agente descansa", fiz questão de colocar um acento no para (pára), pois o mesmo foi muito mal escolhido e não se entende direito quando se lê de primeira devido à nova, inútil e puxa-saco-de-Portugal regra Gramatical da Língua Portuguesa. Se pode dificultar, porque facilitar?


NOTA 5: Chega de notas! Boa noite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários são bem vindos, mas, por favor, evite postar palavrões e demais palavras de baixo calão. Seja inteligente e direto. Grato.