Barra de boas vindas e data

terça-feira, 27 de abril de 2010

Autoescolas, Detran e CTBel não se entendem


Para instrutor, o Detran não dá atenção para a educação e a CTBel virou uma 'fábrica de multas'. O instrutor e gerente de uma autoescola de Belém, Silvio Silva, ajuda no grupo do Pró-Dirigir e garante que há um desentendimento geral entre o Departamento de Trânsito do Pará (Detran), Companhia de Transportes de Belém (CTBel) e os centros de formação de condutores (CFC). Ele afirma que o Detran não dá a devida atenção, educação e orientação aos condutores e marginaliza autoescolas por conta dos esquemas de facilitação de carteiras de motorista, apesar de não coibir a prática dentro do próprio departamento. A CTBel foge do papel de orientadora e educadora enquanto se torna uma "fábrica de multas". Por fim, Silvio acredita que falta mais qualidade nas aulas das autoescolas, só que isso deve ser cobrado justamente da CTBel e do Detran. "Não há um consenso e nem parcerias entre estas instituições. Uma fica querendo apontar os erros da outra e empurrar responsabilidades. Não é assim. A única parceria entre CFCs e Detran é na hora de ‘acertar’ carteiras. É necessário parceria e cobrança ao mesmo tempo. A educação deve ser com material humano e didático. Não adianta só aplicar multa e só fazer campanha em períodos de férias e feriados prolongados. A orientação deve ser constante. Detran, CTBel e autoescolas precisam se entender" recomenda Silvio. Assim como o psicólogo João Bosco de Assis Rocha, Silvio reconhece que a formação de motoristas deixa a desejar. Parte da culpa é do aluno que sempre busca a autoescola mais barata, o que nem sempre garante que a formação terá qualidade. Por outro lado, os instrutores estão com conhecimentos e técnicas defasados por poucos cursos de capacitação e reciclagem. "Falta melhor preparação, com certeza. No ano passado o Detran determinou a carga horária teórica passaria de 30 horas teóricas para 45 e de 15 horas práticas para 20. Não adianta aumentar o número de horas-aula se não melhorar a qualidade do ensino", diz. O instrutor ressalta que a quantidade de aulas é relativa. O aluno sempre deve fazer o número de aulas que achar necessário para se sentir confiante. Alguns alunos aprendem em 10 aulas, enquanto outros não conseguem nem com 30.

Matéria do site ORM
Edição de 25/04/2010


Mais uma matéria enviada pelo nosso colaborador Renato Fernandes

2 comentários:

  1. Quen dirige em belém dirigi em qualquer lugar do mundo...a te np afeganistão...o povo é muito mal educado...não pisca o alerta,não liga sinaleta...e complicado conviver com os indios.

    ResponderExcluir
  2. índio??? sua mulherzinha baixa. quem pensas que é?
    Respeite belém e os povos da amazonia, sua preconceituosa!!!!

    ResponderExcluir

Seus comentários são bem vindos, mas, por favor, evite postar palavrões e demais palavras de baixo calão. Seja inteligente e direto. Grato.