Barra de boas vindas e data

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Milagre do Círio


A Fonte da Praça da Sereia (isso mesmo, aquela em frente às Lojas Americanas da Avenida Presidente Vargas, ao lado do Bradesco - como se todos soubessem...) é toda feita em aço e foi trazida da Europa na virada do Século XIX para o XX e, junto com a Praça da República, foi tombada pelo patrimônio histórico do Município de Belém e do Estado do Pará.

Para quem não acredita em milagres, faço questão de mostrar que eles existem, sim!!! Essa pobre praça foi revitalizada pela última vez, se não me falham as minhas pesquisas, no ano 2000 AC DC e somente um evento desta magnitude pôde ter sobrado uma casquinha para dar uma repaginada (se é que posso usar este termo) no humilde monumento.

Agora pergunto: precisava passar tanto tempo e de um grande evento religioso para a prefeitura tomar conta do patrimônio histórico? E não foi só isso que foi revitalizado: diversas outras partes da cidade, por onde passam os romeiros e ruas foram "pinceladas" com asfalto também. Por um lado é bom, mas por outro, vemos que os políticos de fato só fazem obras para "inglês ver", infelizmente. Obras importantes é para o belemense ver todo o santo dia. É para isso que pagamos impostos, e muitos!!!

Depois de ver a foto, a dúvida acaba: Praça da Sereia???

Antes do Círio: cadê a água, a tinta e as grades da cerca, "sumano"? Aqui, eles já haviam começado os "arremedos"... ai que medo!

Depois do Círio: aqui, água à vontade, graminhas aparadas, corrimão desempenado (antiga grade de retenção - é, virou um corrimão!) e os "mindingos" bem longe de um banhinho bacana. Tudo lindo e maravilhoso, "sumano".

Fonte: Recortes do Jornal Diário do Pará de 3 de julho de 2006, disponível para download na Hemeroteca do IESAM, neste link em PDF
As fotos são minhas mesmo, tiradas com meu celular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários são bem vindos, mas, por favor, evite postar palavrões e demais palavras de baixo calão. Seja inteligente e direto. Grato.