Barra de boas vindas e data

sábado, 31 de dezembro de 2011

A Carroça do Caos

Não, não estou falando da galera que tem Chevette, Fusca, Corcel e afins. É uma carroça mesmo, no meio do trânsito pesado. É impressionante que na oitava maior capital do País não se tenha na Legislação Municipal dispositivos que proibam ou até mesmo regulem o tráfego deste meio de transporte muito comum na idade média.

Para não dizerem que sou preconceituoso, em Natal/RN, os donos delas pagam até IPVA, com direito a placa e tudo! E não podem circular por qualquer via, como acontece aqui.

Está passando da hora de se tomar providências.

Nota: Não somos contra o trabalho duro do cidadão carroceiro. Só gostaríamos que se pusesse ordem ao caos. Por exemplo, creio que hoje, ninguém precise desse tipo de serviço em determinados bairros considerados "nobres" de Belém em que o trânsito está muito complicado.
 

Veículo com 1 cv de potência em plena Gama Abreu. Vai reclamar com ele, vai...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo

A equipe do Trânsito Caótico de Belém vem desejar a todos um Feliz Ano Novo e que 2012 seja repleto de sucessos e felicidades. Que haja mais fraternidade em nosso trânsito afim de contribuir em amenizar o caos instalado na nossa querida cidade, reduzindo as imprudências, as faltas de respeito, os acidentes, as mortes.

Dê sinal verde à PAZ no trânsito.

Estes são os nossos sinceros votos.


Equipe Trânsito Caórico de Belém
Cid Pacheco
Tony Ferns (Renato)
Cid Paiva

Mais um pouquinho de Faixa Azul

Esses caras não têm jeito mesmo. Tirei esta foto dia 28 de dezembro de 2011, ante-ontem. O Pior é que quando eles são entrevistados, como ouvi uma entrevista na rádio CBN (AM 900 Mhz) na senama que começou a faixa azul, onde o "profissional" dizia que ninguém fazia isso... Eles são perfeitos. hum-hum...

O Pior de tudo é que esse "cavalinho do cão" estava cortando tudo e todos... 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Condolências


A equipe do Trânsito Caótico de Belém vem transmitir nossos profundos pêsames aos parentes e colegas de trabalho pela perda de mais um profissional do trânsito de nossa cidade, o agente Adauto da Cruz Melo, vítima do próprio habitat onde trabalhava, onde foi protagonista de mais um infeliz exemplo nacional que se tornaram as vias de Belém: canais de canis a céu aberto, onde ninguém se respeita, ninguém dá a vez a outro, ônibus atropelam carros, motos, pedestres, ciclistas e agentes de trânsito. Vítima de um imenso idiota, como tantos por aí, que fazem de nossas ruas e avenidas pistas de corrida.


Infelizmente nossa geração irá passar sem ver uma mudança neste sentido. Penso isso porque educação se traz de casa e da escola e o que vemos é um exagero de mal educação no dia a dia do trânsito. A solução a longo prazo, na minha opinião, seria primeiramente criar uma disciplina escolar chamada Educação no Trânsito, e aí sim, quem sabe, um dia teríamos um trânsito melhor, mais humano, sem alguém precisar baixar o vidro para pedir passagem. Ficando apenas nossa cobrança jundo aos órgãos competentes para fazerem sua parte em melhorar as vias e demais melhorias. Afinal, não adianta cobrar por vias melhores e bem sinalizadas se nosso visinho insiste em ligar o pisca alerta e parar em fila dupla, ou uns loucos varridos apostarem corrida em plena Avenida Almirante Barroso, concorda?

Equipe Trânsito Caórico de Belém
Cid Pacheco
Tony Ferns
Cid Paiva

Mais uma obra suspeita (capítulo 02)

Lembram da matéria que postamos sobre a obra do sistema BRT que a Prefeitura pretende implantar? Aquela a qual intitulamos como obra suspeita? Pois é... o rolo já começou. Saca só:

Quarta-feira, 28/12/2011, 06h42

Justiça suspende edital de obras para sistema BRT

A abertura do envelope com o nome da empresa vencedora de uma concorrência internacional de R$ 430 milhões da prefeitura de Belém, prevista para acontecer no próximo dia 2, está suspensa por determinação da Justiça desde o dia 25 passado.

A prefeitura pretende implantar na cidade o Ônibus de Trânsito Rápido, da sigla em inglês BRT (Bus Rapid Transit (BRT), com veículos que se movem sobre canaletas. A obra prevê um corredor de tráfego ligando o distrito de Icoaraci ao bairro de São Brás, através da Augusto Montenegro. A decisão é da juíza de plantão durante o recesso do judiciário, Margui Gaspar Bittencourt. Ela concedeu liminar favorável à empresa Estacon Engenharia.

O interesse por essa licitação, cujo edital apresenta várias irregularidades, é tão frenético que o próprio mandado de segurança desapareceu do plantão judiciário entre os dias 23 e 25. O mandado teve de ser reapresentado pelo advogado da empresa. A juíza pedirá que a conduta da diretora do plantão judiciário seja investigada pela corregedoria das Comarcas da Capital e Região Metropolitana.

Inconformados com a decisão da juíza, os advogados da prefeitura ingressaram na terça-feira com recurso para tentar derrubar a liminar e manter o anúncio da abertura dos envelopes da concorrência para o dia 2. O pedido foi distribuído para a a desembargadora Gleide Moura, que deve decidir hoje se mantém ou cassa a liminar de Margui Bittencourt.

A empreiteira paraense argumenta que há várias irregularidades no edital de convocação para abertura das propostas. Uma delas seria a fonte e o montante de recursos orçamentários aprovados para assegurar a execução, apontando que essa informação foi omitida do edital.

A juíza menciona em seu despacho a falta de apresentação da prova de capacidade técnica dos profissionais e das empresas concorrentes, o que considera gravíssimo, porque “impede a total publicidade que todo ato administrativo dever ter, pois se trata, afinal de contas, da gerência do direito público que, por sua vez, deve ser protegido e respeitado em seu maior patamar de execução”. Para ela, é preciso garantir a segurança jurídica das relações contratuais na administração pública sobre o particular. “Há perigo de prejuízo legal, de dano irreparável”, afirma Margui Bittencourt.

Ela determinou ainda 45 dias para retificações do edital com indicação da fonte e do montante de recursos orçamentários aprovados para assegurar a execução da obra; permissão de empresas reunidas em consórcio; comprovação de capacitação técnica ao fornecimento e instalação de sistemas operacionais, através de empresas técnicas especializadas; entre outros pontos. Também determinou que os autos do processo sejam distribuídos em uma das varas da Fazenda Pública, a partir do primeiro dia útil, após o recesso judiciário.

Projeto conflita com o Ação Metrópole

O ônibus rápido sobre canaletas da prefeitura é um projeto que bate de frente com outro semelhante, elaborado pelo governo do Estado em parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica). Os recursos, previstos no programa Ação Metrópole, envolvem obras que irão mexer com todo o fluxo de transporte na região metropolitana de Belém, incluindo a BR-316, a avenida Almirante Barroso e o centro de Belém. Esse projeto passou por ampla discussão com os setores interessados da população. O financiamento, porém, corre o risco de ser sepultado pela intromissão da prefeitura.

Cercado de mistérios, o projeto da PMB nunca foi apresentado publicamente e sequer foi debatido fora, ou mesmo dentro, da prefeitura. O DIÁRIO tentou por diversas vezes obter cópia integral do projeto, mas a única informação disponível é a de que o documento estaria guardado sob cadeado em uma gaveta do prefeito Duciomar Costa. Outro fato estranho é que, mesmo sob sete chaves, o financiamento do projeto foi aprovado pela Câmara Municipal numa operação tão rápida quanto suspeita.

O projeto do Estado é mais amplo do que o da PMB, porque enquanto o da prefeitura engloba a Augusto Montenegro e a Almirante Barroso, estabelecendo a parada final do ônibus em São Brás, o Estado engloba a BR-316, Almirante Barroso, indo até o centro da cidade.

SEM ACORDO

Uma tentativa de conciliar os interesses do Estado e do Município e evitar prejuízos para os dois lados fracassou recentemente. A prefeitura sequer cogita fazer apenas a Augusto Montenegro, abrindo mão de seu projeto que contempla a Almirante Barroso. O que chama a atenção no projeto da PMB é que ele tem o aval do Ministério das Cidades. É no mínimo estranho que isso ocorra, já que o governo federal havia aprovado o projeto do Estado.

O projeto da PMB estrangula a Almirante Barroso em todos os locais de ultrapassagem dos ônibus sobre canaletas, estreitando para duas faixas a passagem de carros. Como os ônibus de toda a região metropolitana continuarão circulando pela avenida, dá para imaginar como ficará o trânsito na área.

Para completar, está prevista a construção de um imenso terminal de passageiros em São Brás, que irá ocupar toda a Praça do Operário, o estacionamento em frente ao Terminal Rodoviário, além do local onde funciona a creche Lar de Maria, que teria de ser desapropriada e demolida. E tem mais: na área do estádio

Mangueirão, exatamente no local onde o governo estadual pretende construir um ginásio de esportes, a prefeitura decidiu erguer um terminal de passageiros. Mais adiante, ainda na Augusto Montenegro, o projeto ignora o cruzamento com a avenida Independência.

PMB diz que se manifestará somente após ser notificada

A prefeitura, por meio da assessoria de imprensa, informou que ainda não foi notificada sobre a decisão judicial, portanto, não poderia se pronunciar sobre a ação. Apesar disso, remeteu para o DIÁRIO informações de que o BRT foi projetado para beneficiar 600 mil pessoas em Belém, afirmando que a obra é uma das soluções para o problema do transporte público na capital paraense. A nota informa também que o projeto foi lançado dia 17 de novembro e assegura que segue todos os trâmites exigidos pela legislação.

“O BRT é de fato uma obra de R$ 400 milhões, porém, o seu custo benefício é inestimável, uma vez que resolve um problema crônico de transporte para mais de 600 mil pessoas que utilizam o transporte coletivo no corredor que liga Icoaraci a São Brás, beneficiando também todas as comunidades ao longo da rodovia Augusto Montenegro”, afirma a nota da prefeitura de Belém.

A nota segue informando que, para essa obra, foi lançado um edital para uma licitação internacional, com cronograma de 15 meses, caso seja realizada sem interrupções. “O BRT é um sistema de ônibus sobre trilhos de alta capacidade que prevê um serviço rápido, confortável, eficiente e de qualidade, concebido para servir pelo menos 45 mil passageiros por hora”, especifica.

(Diário do Pará)

Comentário:
Mal começou o processo de licitação, e já nos deparamos com várias irregularidades. É documento que some, omissão de informações, falta de provas de capacidade técnica das empresas envolvidas, edital mal elaborado, etc...
Ai ai... isso ainda vai render. Afinal, são milhõe$$$ em jogo. E suponha-se que há muita gente querendo tirar uma casquinha. Vamos ser sinceros...

É indiscutível que se esse projetor se tornar realidade, trará muitos benefícios para a sociedade de Belém. Mas a intransigência de nossos políticos (e demais envolvidos) que, em sua maioria, só enxerga o seu próprio umbigo, acaba por dificultar as coisas e, praticamente, não saem do papel, e quando sai... demooooora pra ficar pronto (anos e anos vide pórtico metrópole). E quem paga o pato? Garanto que não é apenas eu e meu bolso...


@TonyFerns13

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Faixa azul começa a acabar com a farra

Caros leitores, tenho duas matérias que sairam no Diário do Pará nos dias 22 e 27/12 para postar sobre a faixa azul da Av. Almirante Barroso, mas para não ficar muito repetitivo e cansativo, postarei as duas de uma vez só.

Faixa Azul entra em vigor na Almirante Barroso

Quinta-feira, 22/12/2011, 02h30

Depois de um mês para que as empresas de transporte coletivo reeducassem seus motoristas para a utilização das faixas 3 e 4 como obrigatoriedade, o projeto Faixa Azul da Companhia de Trânsito do Município de Belém (CTBEL), entrou em vigor, ontem, na Avenida Almirante Barroso.

O projeto pretende atender às reclamações da população, que pede que as faixas 1 e 2 sejam usadas exclusivamente para carros menores. Nesta etapa do projeto, a fiscalização está sendo feita apenas por viaturas e transportes com fiscais em pontos fixos ao longo da avenida.

Segundo Elias Jardim, diretor de trânsito da CTBEL, o projeto já finalizou a primeira etapa. “Primeiro foram modificadas as cores das faixas laterais pela direita, a retirada das tartarugas ao longo da avenida e a implantação das placas de regulamentação de acordo as normas de trânsito brasileiras. Agora em 2012 vamos desenvolver a segunda etapa do projeto, quando vamos colocar câmeras em pontos estratégicos da avenida para que a via seja totalmente monitorada, evitando acidentes e irregularidades”, diz.

Uma delas é a observação das constantes “queimas de paradas”, que ocorre quando o motorista não atende a chamada do pedestre. “Acredito ainda que vamos poder ajudar outros órgãos, como o de segurança e primeiros socorros”, explica o diretor de trânsito.

Reeducação

Segundo Océlio Valente, motorista há 25 anos e que há nove trabalha com transporte coletivo, os carros menores também devem ser reeducados. “Muitas vezes carros pequenos atrapalham, andam nas faixas 3 e 4 sem mesmo ter a necessidade de dobrar para outras vias, assim temos que desviar deles. Ontem vi vários ônibus seguindo pelas faixas proibidas, justamente por não conseguir andar pelas faixas 3 e 4. Por isso que acabamos queimando as paradas, principalmente em horário de pico, quando os ônibus estão extremamente lotados. Uma viagem que deveria durar uma hora e quarenta minutos, acaba durando mais de duas horas. Por essa demora também somos penalizados”, desabafa.

De acordo com a CTBel, desde o início da implementação do projeto Faixa Azul, as empresas de transporte coletivo foram avisadas através de ordem de serviço sobre a implementação da nova regra e sua importância de reeducação dos motoristas para a utilização das faixas 3 e 4 como obrigatoriedade.

(Diário do Pará)


Ônibus fora da faixa azul são multados pela CTBel

Terça-feira, 27/12/2011, 03h26

Em vigor desde a semana passada, os ônibus urbanos que trafegam pela avenida Almirante Barroso, a principal via da cidade, têm que circular obrigatoriamente pelas faixas 3 e 4 e, consequentemente, estão proibidos de andar nas faixas 1 e 2, sob pena de multas de trânsito e administrativa.

Até agora, já foram autuados 36 ônibus por infração de trânsito e 84 por descumprimento à ordem de serviço da Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) que regulamenta essa obrigatoriedade.

A regulamentação da circulação obrigatória dos ônibus pelas faixas de tráfego 3 e 4 da Almirante Barroso é uma medida da CTBel para dar fluidez ao trânsito e possibilitar segurança aos passageiros que embarcam e desembarcam nas paradas da via.

Segundo Elias Jardim, diretor de Trânsito da CTBel, a pintura da faixa azul e a colocação de placas de regulamentação da circulação de ônibus na Av. Almirante Barroso vão ajudar os motoristas de ônibus a cumprir a obrigatoriedade pelas duas faixas da pista. “A pintura é para chamar atenção mesmo e dividir as faixas. As placas foram colocadas na calçada e em braços projetados com a indicação das faixas dos ônibus. As duas faixas serão obrigatórias para ônibus urbanos, mas não exclusivas, até porque não tem como evitar que outros carros passem para elas no momento de entrada e saída às vias transversais”, disse ele.

Infração

Os ônibus que desrespeitarem a nova determinação da CTBel serão autuados por trafegar em local proibido, conforme especifica o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), cuja multa vai custar R$ 85,00 ao motorista infrator por ser infração média, além de quatro pontos na carteira.

Feita a autuação de trânsito, a empresa de ônibus será também notificada e receberá penalidade administrativa prevista no Regulamento do Serviço de Transporte Coletivo por Ônibus do Município de Belém (RSTCOMB) no valor R$ 175,00.

(Diário do Pará)

Cometário:
Eh... até agora o negócio da faixa azul está funcionando. Já foram autuados 36 ônibus por infração de trânsito e 84 por descumprimento à ordem de serviço da CTBel.
Mas fica a pergunta: até quando?
Só espero que isto daqui um tempo não comece a ficar no esquecimento por conta de negligência dos órgãos e de seus agentes envolvidos, o que comumente acontece na cidade... infelizmente.

@tonyferns13

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Faixa azul a todo vapor

CTBel fazendo o que mais sabe: procurando algum motorista "marcando toca".

MAS a iniciativa está de parabéns, pois os motoras dos "grandalhões" não respeitam nada nem ninguém. Agora resta ver se o padrão será mantido.

 
Em tempo: se não falha a memória, no dia que começaram a vigiar a faixa, foram autuados mais ou menos uns 12 "bondes" tentando burlar a segurança durante o dia todo. Me corrijam, por favor, se estiver errado.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Faixa azul de quê?

Pra quem não sabe (ou finge que não sabe) a CTBel desde Novembro vem pintando em toda a Av. Almirante Barroso uma faixa azul que separa as faixas 1 e 2 das 3 e 4.

Bem... segundo reportagem do Portal ORM, essa sinalização faz parte de um projeto que torna as duas primeiras faixas corredores obrigatórios para ônibus.
A proposta, segundo a CTBel, é dar fluidez ao trânsito e possibilitar segurança aos passageiros que embarcam ou desembarcam. O projeto prevê ainda a colocação de placas de sinalização e, posteriormente, a instalação de câmeras de monitoramento ao longo dos 5.600 metros da avenida. Serão, no total, 20 câmeras de vigilância, sendo 10 em cada sentido da Almirante Barroso, que vão monitorar o trânsito e circulação de pedestres. A vigilância será feita por dois agentes na sede companhia.

Mas enquanto a fiscalização monitorada não entra em ação... eles, os "motoras dus bondis", vão fazendo o que bem entendem, assim como mostra a imagem registrada pelo colaborador Fernando Pancieri através de seu Twitter.


E faço minha as palavras dele: Faixa azul não é enfeite. Mas quem respeita?


@tonyferns13

domingo, 11 de dezembro de 2011

Concurso CTBel

CTBel realiza concurso público com 117 vagas

A Companhia de Transporte do Município de Belém (CTBEL) torna pública a realização de concurso público destinado a selecionar candidatos para o provimento efetivo nos cargos de Agente Administrativo e de Agente de Trânsito e para a formação de cadastro de reserva.

O Centro de Extensão, Treinamento e Aperfeiçoamento Profissional Ltda. (Cetap) é o responsável pela realização do concurso. As inscrições serão realizadas, exclusivamente, via Internet. Ao todo serão disponibilizadas 95 vagas para Agente de Trânsito e 22 vagas para Agente Administrativo.

Serviço - O Período de inscrição será de 02/12/11 á 02/01/12. O edital completo está disponível no site do CETAP.

Fonte: Potal da Defeitura Prefeitura de Belém

Cometário:
Reitero o que escrevi no post anterior.
Um pequeno recado para os futuros candidatos à guarda de trânsito que forem aprovados no tal concurso previsto para o início de 2012: Muito ajuda quem não atrapalha.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Trânsito de Belém com menos 40 agentes

A decisão conjunta entre Companhia de Trânsito de Belém (CTBel) e a Guarda Municipal de Belém (GMB) de remanejar 40 guardas municipais que atuavam como agentes de trânsito pode complicar ainda mais o já caótico trânsito de Belém. Os guardas municipais remanejados atuarão na função de origem e vão garantir a segurança de postos de saúde administrados pela Prefeitura de Belém. As vagas que ficaram abertas serão preenchidas com os aprovados no concurso previsto para o início de 2012.

O remanejamento ocorreu depois que uma empresa terceirizada, que fazia a segurança dos postos de saúde, paralisou suas atividades. Com isso, algumas unidades de saúde ficaram sem segurança alguma.

A diretora superintendente da CTBel, Ellen Margareth, informou que ao todo eram 100 guardas municipais, que foram deslocados para a CTBel e atuavam como agentes de trânsito. A medida foi tomada para suprir a carência de pessoal da CTBel para cobrir toda a cidade de Belém. “Esses guardas que estavam na função de trânsito retornam para a Guarda Municipal para assumir seus postos. O dever da guarda é de segurança e zelar pelo patrimônio”, afirmou.

Outros 60 guardas municipais permanecem atuando como agentes de trânsito. Mas as vagas abertas permanecerão assim até que os aprovados no concurso previsto para o início de 2012. Questionada se isso não iria gerar maiores problemas para o trânsito de Belém, a diretora da CTBel discordou. “O trabalho na rua vai continuar normalmente. Claro que alguns perímetros serão retirados, mas sem prejuízos. As vagas abertas só serão preenchidas pelos aprovados no concurso”, garantiu Ellen Margareth.

(Diário do Pará. Sábado, 03/12/2011, 08h38)

Comentário:
Neste tão caótico trânsito de Belém, se com 100 guardas municipais deslocados para apoiar a CTBel o serviço já era horrível... imagine agora com menos 40.
Mas se isso serve de consolo, é menos Ali Baba e 40 ladrões 40 guardas para te pedir "o do lanche". E não sou eu quem tá dizendo. Foi o que rolou na mídia. Vide aqui.

E um pequeno recado para os futuros candidatos à guarda de trânsito que forem aprovados no tal concurso previsto para o início de 2012: Muito ajuda quem não atrapalha.